Três dos quatro blends da Gourmet Tea que eu tomei foi junto com a Carline Piva (professora de yoga e companheira de degustações de chá “chuchuzinha“). Reservamos as manhãs de quinta para a nossa descerimoniosas cerimônias do chá e hoje foi ainda mais especial. Na terça-feira, ela comemorou seu aniversário no Pão, uma padaria artesanal orgânica pequena, fofa e deliciosa nos Jardins (que só trabalha com chás orgânicos da Gourmet Tea – eu provei a infusão herbal Soothing da linha dos ayurvédicos: uma mistura de camomila, raiz de alcaçuz, semente de funcho, cardamomo e gengibre… e adorei). Lotamos o estabelecimento, que tem três mesinhas aconchegantes. Posso dizer que o calor humano foi fundamental para uma tarde fria de primavera depois do cineminha…

O aniversário passou e ficaram os presentes (bule, chá e a peneirinha japonesa, esta última parte do kit-mimo, que foi o meu presente) e com eles, a Carline preparou este chá de feliz desaniversário 😉

O chá presentado foi o White Passion, da linha de chá branco, que tem raiz de alcaçuz (mordo a língua de novo), grãos de cártamo, centáureo (duas flores lindas, coloridas e com um aroma que quebra a coisa sem graça do chá branco) e aromas naturais (não sei do quê, provavelmente das flores, apenas reproduzo o que estava escrito no rótulo). A dica da Val, amiga da Carline que ofereceu o presente: tomar o chá com cookies integrais de banana.

E assim começamos muito bem nossa quinta-feira.

Cabe aqui um importante comentário: eu estou adorando os chás da Gourmet Tea. Vou comentando os blends conforme eles cruzam meu caminho (coincidentemente, via Carline, que ganhou alguns de presente de amigos). Vale muito a pena experimentar: trata-se da marca nacional que atualmente reúne  produtos de qualidade, ingredientes orgânicos, uma grande variedade de blends com sabor surpreendente (para o bem, pelo menos os que eu já pude provar). O preço não é super acessível (uma lata com 45g custa R$ 23,90 no site da marca, sem contar o frete – custa quase 3 vezes mais que o peso equivalente de um chá básico na Mariage Frères, mas devemos levar em conta que o mercado de chá no Brasil está dando seus primeiros passos, ao contrário do que acontece na Ásia e Europa), mas mesmo assim considero o custo-benefício muito bom.

Conselho aos interessados: no site, há uma lista de estabelecimentos que oferecem os chás da marca em seu cardápio (basta clicar em “onde encontrar”). Vá experimentando aos poucos, descubra o(s) seu(s) favorito(s) para então investir na latinha. Ou então mergulhem no desconhecido (adorei 3 dos 4 que já experimentei, então o meu índice de aprovação por enquanto chegou a 75%).

PÃO: rua Bela Cintra, 1618, tel. (11) 3384-6900 (abre de segunda a sábado, das 9h às 19h, e, aos domingos, das 9h às 14h).

Anúncios

white breakfast

26/08/2010

Este foi o café da manhã de ontem, antes de eu passar mal com o tempo seco. Toda a mise-en-scène rolou por alguns motivos:

* desde que a semana começou, eu ainda não tinha tomado um café da manhã gostosinho, com calma

* tinha uma manga deliciosa na geladeira

* queria fazer uma foto bonita para o blog

* porque eu não gosto de chá branco e queria descobrir se, preparando um café bonito, ele poderia ser mais gostoso

Acho que de todos os itens, o que mais interessa para o blog é o último. É fato, não gosto de chá branco (uma das minhas melhores amigas adora, e, por influência dela, que tem extremamente bom gosto, eu até tentei, mas não consegui). Acho o sabor dele um pouco enjoativo, não sei explicar. Depois, ainda peguei uma certa birra porque ele entrou com força no mercado brasileiro na onda das dietas (oK, você pode estar pensando que o chá verde também ficou popular por causa das suas propriedades emagrecedoras, antioxidantes, blablablá, mas talvez isso não tenha me afetado tanto porque eu já sabia de sua existência desde pequena, nas missas de família).

Então resolvi tentar de novo. Eu já tinha um pacote aqui em casa, orgânico, da marca Campo Verde. E fui me aventurar. A cor do chá branco seco é linda, meio prateada. Isso porque ele é colhido antes de as flores se abrirem e alguns brotos têm uma penugem verde-claro acinzentada. O chá tem um cheirinho de mato não tão agradável e um gosto bem diferente do chá verde. Apesar de dizerem que o chá branco tem um sabor mais suave, eu acho o sabor menos sutil (talvez seja a marca, vou tentar outras, prometo) e pode parecer uma heresia o que vou dizer agora: tive a sensação de estar bebendo algo levemente estragado pela umidade (talvez as folhas que eu tinha em casa não estivessem bem armazenadas).

Mas não me contentei com a “segunda primeira impressão”. Como uma bebida feita de camellia sinensis poderia ter gosto ruim? Adicionei uma colherzinha de chá de açúcar e tudo ficou mais agradável, compatível com as torradas de pão amanhecido, os cubos de manga e a geleia de laranja com gengibre da Senhora das Especiarias que ganhei de presente de uma grande amiga.

(a mise-en-scène deu uma força para o veredito final)

* TEMPERATURA DA ÁGUA: de 80 °C   * MEDIDA: mais de 1 colher-medidor * TEMPO DE INFUSÃO: 2 minutos *